Cadastre-se Jogo das Vocações Simulado Busca

Simulado On-Line
 
LÍNGUA PORTUGUESA - FUVEST (1999)

1) Texto para as questões de 1 a 3

O espectador de olhar imediatista talvez tenha dificuldade para apreender a principal qualidade de Kenoma. Tal mérito não ocupa a tela de modo escancarado, mas por meio do acúmulo de imagens. É preciso aceitar o ritmo cadenciado e os silêncios da narrativa para perceber a sintonia da direção com o ambiente retratado – um grotão esquecido do Brasil, registrado por uma câmera realista, às vezes documental, mas com toques lúdicos. Mérito significativo em se tratando de um relato de investigação sobre uma realidade social e geográfica distante dos realizadores. Ainda mais em uma época tomada por filmes cujo ritmo acelerado impede a permanência das imagens na retina e a apreensão de seus significados após a sessão.
(Época, 31/08/98, p.89)

V.01 – Considere as seguintes afirmações:
I. A qualidade do filme encontra-se na adequação do estilo ao tema desenvolvido.
II. Espectadores de olhar imediatista não conseguem apreciar filmes que mostram lugares distantes do meio urbano.
III. Filmes cuja narrativa tem ritmo cadenciado exigem do espectador uma atitude diversa da que lhe é habitual.
Está correto, em relação ao texto, apenas o que se afirma em


a)I e II.
b)I e III.
c)II e III.
d)I.
e)I, II e III.
Resposta


2) V.02 – O termo mérito em “Tal mérito não ocupa...” refere-se a


a)Kenoma.
b)olhar imediatista.
c)acúmulo de imagens.
d)principal qualidade.
e)modo escancarado.
Resposta


3) V.03 – No 2º período do texto, o advérbio não localizar-se-ia melhor se posto imediatamente antes do elemento que está negando:


a)tal mérito.
b)a tela.
c)de modo escancarado.
d)por meio do acúmulo.
e)de imagens.
Resposta


4) V.04 – A frase em que a grafia está inteiramente correta é:


a)A rescessão asiática, o colapso russo e a perda de vultuosas quantias roubaram a expontaneidade do mercado de investidores.
b)Nessas inserções, todas as disfunções familiares, sem exceção, vêm à tona, sempre acompanhadas de forte descarga emocional.
c)Sua Magestade não admitiu a indiscreção do ministro, expulsando-o, imediatamente, da Corte.
d)As medidas tomadas pelo Governo contra a inflação não atendem às espectativas da população e, certamente, não sortirão os resultados esperados.
e)Estudiosos mostram-se apreensivos diante da eminência do recrudecimento das superstições nas sociedades capitalistas.
Resposta


5) Texto para as questões 5 e 6

De todos esses periquitinhos que tem no Brasil, tuim é capaz de ser o menor. Tem bico redondo e rabo curto e é todo verde, mas o macho tem umas penas azuis para enfeitar. Três filhotes, cada um mais feio que o outro, ainda sem penas, os três chorando. O menino levou-os para casa, inventou comidinhas para eles; um morreu, outro morreu, ficou um.
(Rubem Braga)

V.05 – Neste excerto de Tuim criado no dedo,


a)o narrador em terceira pessoa emprega o discurso indireto para assimilar o ponto de vista do menino.
b)repetições, diminutivos, simplicidade sintática introduzem no discurso a perspectiva do menino.
c)a escassez de adjetivos torna concreta a visão substantiva, própria da infância.
d)o narrador em primeira pessoa utiliza o discurso direto para recriar a visão infantil.
e)diminutivos, predomínio da subordinação e sinestesias recriam o registro da percepção infantil.
Resposta


6) V.06 – Das afirmações sobre o verbo assinalado em “que tem no Brasil”, qual a única INCORRETA?


a)É um uso típico da variante popular da língua.
b)Pode ser corretamente substituído por há.
c)Seu valor semântico difere daquele que apresenta nas demais ocorrências.
d)É um verbo impessoal cujo objeto direto é o pronome que.
e)Pode ser corretamente substituído por existe.
Resposta


7) V.07 – Em que frase o espaço em branco deve ser preenchido apenas com pronome relativo e não com pronome relativo regido de preposição?


a)Trata-se de jóias de família ........ jamais me desfarei.
b)O candidato expôs planos ........ ninguém confiou.
c)Nesta rua, os serviços ........ você tem acesso são inúmeros.
d)Foi positivo o resultado ........ a empresa atingiu.
e)Eis o documento ......... cópia me refiro.
Resposta


8) Texto para as questões 8 e 9

Existe, hoje, uma percepção disseminada pela intelectualidade e por boa parte da opinião pública mundial de uma grande e acelerada mudança operando em várias dimensões da sociedade moderno-contemporânea. Não há, certamente, consenso sobre esse fenômeno, variando definições, terminologia e, sobretudo, avaliações positivas, negativas ou matizadas. De qualquer modo, há uma tendência maciça para reconhecer o caráter ampliado das mudanças econômicas e tecnológicas que afetariam, com maior ou menor impacto, todas as sociedades do planeta, justificando o termo globalização mesmo quando se critica a sua possível banalização como instrumento de conhecimento.
(Gilberto Velho, Revista de Cultura Brasi-leira, 03/98, nº1)

V.08 – Em relação às mudanças econômicas e tecnológicas mencionadas no texto, é correto afirmar que


a)a avaliação delas comporta posicionamentos tanto opostos quanto intermediários.
b)há um acordo quanto à nomenclatura usada, embora essas mudanças sejam definidas de muitas maneiras.
c)a intelectualidade reconhece seu ritmo intenso, mas o faz de um modo disfarçado.
d)a falta de entendimento sobre sua natureza é causa da vulgarização do termo globalização.
e)se justifica o uso do termo globalização, uma vez que tais mudanças funcionam como instrumento de conhecimento.
Resposta


9) V.09 – Substituindo por pronome pessoal oblíquo o complemento de afetariam, na mesma frase em que ocorre, obtém-se:


a)afetá-las-iam.
b)afetariam-nas.
c)as afetariam.
d)lhes afetariam.
e)afetar-lhes-iam.
Resposta


10) O anacoluto (quebra da estruturação lógica da frase), presente no provérbio “Quem ama o feio, bonito lhe parece”, também se verifica em:


a)Quem o mal deseja ao seu vizinho, vem o seu pelo caminho.
b)Quem anda sem dinheiro, não arranja companheiro.
c)Quem com ferro fere, com ferro será ferido.
d)Quem anda depressa é quem mais tropeça.
e)Quem com o demo anda, com o demo acaba.
Resposta


11) Texto para as questões 11 e 12

A carruagem parou ao pé de uma casa amarelada, com uma portinha pequena. Logo à entrada um cheiro mole e salobro enojou-a. A escada, de degraus gastos, subia ingrememente, apertada entre paredes onde a cal caía, e a umidade fizera nódoas. No patamar da sobreloja, uma janela com um gradeadozinho de arame, parda do pó acumulado, coberta de teias de aranha, coava a luz suja do saguão. E por trás de uma portinha, ao lado, sentia-se o ranger de um berço, o chorar doloroso de uma criança.
(Eça de Queirós, O primo Basílio)

V.11 – Observando-se os recursos de estilo presentes na composição desse trecho, é correto afirmar que


a)o acúmulo de pormenores induz a uma percepção impessoal e neutra do real.
b)a descrição assume caráter impressionista, dando também dimensão subjetiva à percepção do espaço.
c)as descrições veiculam as impressões do narrador, e o monólogo interior, as da personagem.
d)a carência de adjetivos confere caráter objetivo e real à representação do espaço.
e)o predomínio da descrição confere caráter expressionista ao relato, eliminando seus resíduos subjetivos.
Resposta


12) V.12 – O segmento do texto em que a preposição de estabelece uma relação de causa é:


a)“ao pé de uma casa amarelada”.
b)“escada, de degraus gastos”.
c)“gradeadozinho de arame”.
d)“parda do pó acumulado”.
e)“luz suja do saguão”.
Resposta


13) Texto para as questões de 13 a 16

Transforma-se o amador na cousa amada, por virtude do muito imaginar; não tenho, logo, mais que desejar, pois em mim tenho a parte desejada. Se nela está minh’alma transformada, que mais deseja o corpo de alcançar? Em si somente pode descansar, pois consigo tal alma está liada. Mas esta linda e pura semidéia, que, como um acidente em seu sujeito, assi co a alma minha se conforma, está no pensamento como idéia: e o vivo e puro amor de que sou feito, como a matéria simples busca a forma.
(Camões, ed. A.J. da Costa Pimpão)

V.13 – O prefixo presente em semidéia tem o mesmo valor semântico do prefixo que há em


a)hipotensão.
b)perífrase.
c)anfiteatro.
d)subalterno.
e)hemisfério.
Resposta


14) V.14 – A relação semântica expressa pelo termo logo no verso “Não tenho, logo, mais que desejar” ocorre igualmente em:


a)Não se lembrou de ter um retrato do menino. E logo o retrato que tanto desejara.
b)Acendia, tão logo anoitecia, um candeeiro de querosene.
c)É um ser humano, logo merece nosso respeito.
d)E era logo ele que chegava a esta conclusão.
e)Adoeceu, e logo naquele mês, quando estava cheio de compromissos.
Resposta


15) V.15 – A conjunção mas, que aparece no início do primeiro terceto, é usada para


a)apresentar uma síntese das idéias contidas nos quartetos, que funcionam como tese e antítese.
b)opor à satisfação expressa nos quartetos a insatisfação trazida por uma idéia incompleta e pelo conformismo.
c)substituir o conectivo e, assumindo valor aditivo, já que não há oposição entre os quartetos e os tercetos.
d)iniciar um pensamento conclusivo, podendo ser substituído pelo conectivo portanto.
e)introduzir uma ressalva em relação às idéias que foram expressas nos quartetos.
Resposta


16) V.16 – É correto afirmar que, nesse soneto,


a)a experiência individual e a reflexão filosófica, alternando-se e conjugando-se, encaminham o desenvolvimento do poema.
b)a fusão do eu e do outro, almejada no amor, produz a conversão da forma em simples matéria.
c)a influência platônica, patente no texto, determina a renúncia ao impulso erótico-amoroso.
d)a oscilação entre ascetismo e erotismo, típica do autor, resolve-se pela eleição da mulher imaterial e dessexuada.
e)os excessos da imaginação amorosa produzem uma confusão mental que caberá à razão disciplinar.
Resposta


17) V.17 – A frase em que a correlação de tempos e modos verbais foge às normas da língua escrita padrão é:


a)Pode-se prever que os ideólogos do capitalismo usarão todos os apelos populistas de que puderem valer-se para introduzir um forte golpe.
b)Em 1970, não houve argumento capaz de convencer a imprensa paulista de que seria de interesse geral a 1ª Bienal Internacional do Livro.
c)Todos seríamos escravos de idéias maniqueístas, não fora o trabalho desenvolvido pelos filósofos iluministas.
d)Agora que ensandeceste, se a tua consciência reouver um instante de sagacidade, tu dirás que queres viver.
e)Se os parlamentares tivessem tido preocupação de discutir com seriedade as propostas, os leitores só poderão estar satisfeitos.
Resposta


18) V.18 – A frase que expressa uma relação de semelhança INCORRETA (ou falsa) entre as personagens Lula de Holanda e mestre José Amaro (Fogo morto) é:


a)Os dois têm filhas solteiras, que são profundamente infelizes.
b)São homens orgulhosos, com traços de mania de superioridade.
c)Um e outro apresentam suscetibilidade e desconfiança exacerbadas.
d)Ambos são marcados pela doença, que os expõe à curiosidade pública.
e)Ambos procuram compensar na religiosidade as infelicidades da vida pessoal.
Resposta


19) Texto para as questões 19 e 20

Oh! Bendito o que semeia
Livros... livros à mão cheia...
E manda o povo pensar!
O livro caindo n’alma
É germe – que faz a palma,
É chuva – que faz o mar.

Vós, que o templo das idéias
Largo – abris às multidões,
P’ra o batismo luminoso
Das grandes revoluções,
Agora que o trem de ferro
Acorda o tigre no cerro
E espanta os caboclos nus,
Fazei desse “rei dos ventos”
–Ginete dos pensamentos,
–Arauto da grande luz!...
(Castro Alves)

V.19 – O tratamento dado aos temas do livro e do trem de ferro, nestes versos de “O livro e a América”, permite afirmar corretamente que, no contexto de Espumas flutuantes,


a)o poeta romântico assume o ideal do progresso, abandonando as preocupações com a História.
b)o entusiasmo pelo progresso técnico e cultural determina a superação do encantamento pela natureza.
c)o entusiasmo pelo progresso cultural contrapõe-se ao temor do progresso técnico, que agride a natureza.
d)o poeta romântico abre-se ao progresso e à técnica, em que não vê incompatibilidade com os ciclos naturais.
e)o poeta romântico propõe que literatura e natureza somem forças contra a invasão do progresso técnico.
Resposta


20) V.20 – Se iniciarmos a segunda estrofe pelo pronome tu, os verbos abris e fazei, que aparecem no texto, deverão mudar, respectivamente, para


a)abre; faz.
b)abras; faças.
c)abres; faze.
d)abre; faça.
e)abres; fazes.
Resposta


21) Texto para as questões de 21 a 23

O senão do livro Começo a arrepender-me deste livro. Não que ele me canse; eu não tenho que fazer; e, realmente, expedir alguns magros capítulos para esse mundo sempre é tarefa que distrai um pouco da eternidade. Mas o livro é enfadonho, cheira a sepulcro, traz certa contração cadavérica; vício grave, e aliás ínfimo, porque o maior defeito deste livro és tu, leitor. Tu tens pressa de envelhecer, e o livro anda devagar; tu amas a narração direita e nutrida, o estilo regular e fluente, e este livro e o meu estilo são como os ébrios, guinam à direita e à esquerda, andam e param, resmungam, urram, gargalham, ameaçam o céu, escorregam e caem...
(Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas)

V.21 – O emprego dos pronomes este e esse, no início do texto,


a)tem a finalidade de distinguir entre o que já se mencionou (mundo) e o que se vai mencionar (livro).
b)marca a oposição entre o concreto (mundo real) e o abstrato (mundo da ficção).
c)faz uma distinção decorrente da diferença entre a posição do narrador e a do leitor.
d)é conseqüência da oposição entre passado (livro) e presente (mundo).
e)é indiferente; assim como hoje, esses pronomes não têm valor distintivo.
Resposta


22) V.22 – A alternativa em que o termo senão apresenta o mesmo valor gramatical expresso em “O senão do livro” é:


a)O motivo não pode ser outro senão que a melancólica paisagem.
b)Falara como pai, senão como juiz.
c)Ninguém senão seu irmão o ouvia.
d)Resplandecia aos olhos dos homens, formosa sem senão.
e)Não o apanhara senão para ter uma parte na glória e no serviço.
Resposta


23) V.23 – Tendo em vista o contexto das Memórias póstumas de Brás Cubas, é correto afirmar que, nesse excerto,


a)as imagens que se referem ao próprio livro, mesmo exageradas, apontam para características que esse romance de fato apresenta.
b)ao ponderar a opinião do leitor, o narrador novamente evidencia o respeito e a consideração que tem por ele.
c)o movimento autocrítico põe em relevo, principalmente, a modéstia e a contenção características do narrador.
d)o fato de o narrador dirigir-se diretamente ao leitor configura um momento de exceção no livro.
e)habitualmente executa seus projetos.
Resposta


24) V.24 – Refere-se corretamente a Alguma poesia, de Drummond, a seguinte afirmação:


a)A imagem do poeta como “gauche” revela a sua militância na poesia engajada e participante, de esquerda.
b)As oposições sujeito-mundo e província-metrópole são fundamentais em vários poemas.
c)A filiação modernista do livro liberou o poeta das preocupações com a elaboração formal dos poemas.
d)primeira fase do autor.
e)A ironia e o humor evitam que o eu -lírico se distancie ou se isole, proporcionando-lhe a comunhão com o mundo exterior.
Resposta


25) V.25 – Considere as seguintes afirmações:
I) Dirigindo-se a um interlocutor presente, que não fala ou cujas palavras não são registradas, interpelando-o e, muitas vezes, empregando linguagem pretensiosa ou pedante, o narrador põe em questão a identidade do homem e o sentido último da vida.
II) Colocando o seu foco na relação entre o letrado e o iletrado, dela o conto extrai efeitos de suspense e humor.
I e II referem-se, respectivamente, aos seguintes contos de Primeiras estórias:


a)O espelho e Famigerado.
b)A terceira margem do rio e Famigerado.
c)O espelho e A terceira margem do rio.
d)Pirlimpsiquice e A terceira margem do rio.
e)Pirlimpsiquice e Famigerado.
Resposta


26) V.26 – Em Morte e vida severina, no diálogo entre o retirante e a mulher na janela (a “rezadora titular”), indicam-se vários motivos pelos quais Severino não encontrará emprego no local a que chegara. Um desses motivos, de fato presente na obra citada, encontra-se em:


a)técnicas necessárias para fazê-lo.
b)Os interesses da modernização financeira e industrial tornam ainda mais difícil para o homem rústico a obtenção de emprego.
c)Por ser desprovido de cultura religiosa e de vínculos com o Catolicismo, o sertanejo marginaliza-se ao chegar à Zona da Mata.
d)A grande fragilidade física a que chegou o retirante torna-o inapto para o trabalho pesado exigido na região.
e)Tendo experiência apenas na criação de gado, o sertanejo encontra-se deslocado em meio à cultura da cana-de-açúcar.
Resposta